sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Benvindo Setembro

Nesses tantos dias que fiquei ausente daqui aconteceram coisa ultra legais.
Pra começar eu meio que deixei de lado meu exterior, meu comportamento voltado às outras pessoas, meu palco da vida e foquei nos meus bastidores. O que é que eu estou preparando no bastidor para apresentar no palco da minha vida?
Obviamente começo por aqui. Já percebi que seja qual for a filosofia que eu adote, o caminho que eu siga, a opção que eu tenha sempre terá ELE como ponto de partida ou de chegada.
Não é que eu o tenha amado porque é meu filho, eu tinha o amor e por isso quis o filho. Na minha cabeça, não cabia mais dentro de mim mesma, e ou eu saia por aí distribuindo amor (e seria hospitalizada em algum sanatório)ou eu juntava todo o amor que sentia transformava em uma pessoa.
Uma pessoa para me dedicar e dedicar todo o amor que eu juntei.
Quando estava grávida, isso em 1977 quando não se fazia nada dessa modernidade em 3D pra saber sexo de bebê, quando alguém me perguntava está grávida? Eu respondia " É o André".
Ele tem a personalidade diferente da minha, as metas, os sonhos, isso me orgulha, não tratamos de passar nossos propósitos pra ele. Minha mãe e eu, criamos e amamo o André por ele mesmo, como ele é.

Eu estabeleci metas, minha mãe estabeleceu as dela e a gente saiu que nem cavalo xucro, de viseira pra não desviar da meta .
Ele cursou a faculdade que ela queria, ficou em Registro com ela enquanto eu ia para a Bolivia atrás do sustento.

E nas andanças da vida ele conheceu a Rosana. No dia do casamento deles, eu bebi  todas e dabcei todos os ritimos comemorando haver trazido com eficiência uma jóia rara até alí e entregar para uma mulher que o amava tanto quanto eu, tenho certeza.
Meu portuga e eu comemoramos bastante numa festa maravilhosa.
Os amigos deles acabaram se transformando em nossos amigos.
A festa foi até de manhã.
Minha mãe não teve coragem de comparecer. Ficou com medo que o coração dela não aguentar a emoção.
Eu sabia que ia chorar que nem uma doida mas era de muita felicidade.
Têm dois filhos. Esses que estão em todas as postagens do meu blog heheheh, afinal, além de entregá-lo aos cuidados da Rosana eu também fiz a recomendação no dia do casamento. QUERO SER AVÓ. E eles capricharam.

E AGORA?
Bom, agora é comigo.
Agora, passados alguns anos meu foco sou eu.
Redescobri minha Umbanda Sagrada, tentei alguns Centros, mas prefiro rezar e cuidar meus Santos e Guias em casa.
Faço mergulhos profundos em mim mesma, graças a Deus apoiada por este marido que me veio sem eu pedir, mas muito acima de qualquer ideal que eu pudesse esperar.
Benvindo Setembro, benvinda primavera. Mais um aniversário de casamento.


Saravá
Axé OOO