sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Entidades, Umbanda e Filosofia

Todos nós sabemos que existem coisas inexplicáveis e também sabemos que ao colocar nosso cérebro à disposição, passamos a entender e assimilar o significado destas coisas.
Por que vamos aos Centros de Umbanda? 
Porque precisamos!
hum hum. Mas precisamos do que? O que é que tem lá?
Se não no Centro de Umbanda, na Igreja. Qualquer que seja, o que buscamos lá?
Eu gosto da gira. Gosto da música, gosto da vibração que eu sinto no Centro de Umbanda.
Mas a religião vai muito mais além.
Existem 7 planos para cima e 7 para baixo deste em que vivemos. Ou 77 ou 777, não sei, não gosto de especular com coisas que não vou conseguir dar um "fechamento" no meu raciocínio. Tanto faz 7 como 77, o que importa é o significado da coisa, em si.
O termo Inferno, existe desde os primórdios da Igreja Católica, numa tentativa de manter o povo sob um regime de pavor e desespero quanto ao pensamento de poder ser condenado à pena eterna do fogo, caso discordasse ou rejeitasse os ensinamentos da Igreja de Roma.
Nesse nosso bate papo é necessário separar as coisas.
Não vamos entrar no mérito do certo ou do errado, nem qual a melhor religião para seguir. Eu tenho a minha, você tem a sua e vamos "filosofar" um pouco sobre a nossa atualidade.

A pressão financeira é uma coisa, a nossa crença é outra.
Se conseguirmos não pensar em necessidades materiais por alguns minutos, e colocarmos nosso cérebro apenas para ponderar sobre as famosas perguntas: Quem sou eu? Onde estou? para que vim?

Vou contar a você o que mudou a minha vida
#estudeumbanda


Umbanda EAD é uma plataforma de ensino a distância, especializada em Umbanda Sagrada, a Umbanda como praticada por Rubens Saraceni.
Estava eu num desses dias de fuçar na internet quando encontrei no Facebook um link para o Youtube de palestra de Alexandre Cumino.
Dalí, conheci a Plataforma e nela Rodrigo Queiroz.
Muitas outras pessoas surgiram e fui agregando aos poucos aos meus estudos.
Outra hora falo de todas elas.
Ainda não tive a oportunidade de conversar com alguem "não reencarnacionista" portanto não tenho fundamentos para argumentar nesse sentido.
Acredito em reencarnação. Não consigo admitir que a gente nasce, vive, morre e cabô. Para mim não faz sentido.
Partamos do princípio que você também acredita nisso. Que estamos nesse plano de existência provisoriamente para cumprir determinada tarefa e com ela ascender alguns degraus a mais na escala evolutiva.

A cada vez que nascemos, é um aglomerado de pessoas (familiares, amigos, conhecidos) que fazem parte do nosso rebanho evolutivo.
É nosso Facebook de evolução. De vez em quando aparece alguém lá que vc nem sabe quem é, mas cruzou o seu caminho. De repente tem alguma coisa produtiva para dizer e você aproveita, ou nada que se aproveite e você rejeita.
Eu acredito que é desse mosaico de experiências e convivências que vamos tendo a oportunidade de moldar nosso caráter e nossa personalidade.
Suponhamos que nos encontramos no estágio evolutivo número zero. É o ponto de partida para alcançarmos os graus mais elevados.
Nossas ações, pensamentos, desejos, atitudes em relação ao próximo nos darão o tom.
Ao encarnar neste plano de existência, nós "desencarnamos" do plano anterior, lá ficaram amigos, parentes e afins, qualquer que seja a forma de relacionamento.
Ao desencarnar deste plano, nasceremos em um próximo talvez com alguns dos parentes ou amigos deste (se houver alguma coisa para terminar de fazer).
Logo depois do nosso plano, está o plano das entidades de Umbanda, estes também executam suas tarefas ao ajudar os humanos a progredir e ascendem na escala evolutiva.
Eu acho isso tão simples e tão elementar que não consigo entender outra teoria.
Talvez falemos mais disso outra hora.
Feliz Ano Novo