quarta-feira, 15 de junho de 2016


Umbanda não é macumba....ou é?
Quando meu filho era pequeno, chegou um dia em casa chorando porque o tinham chamado de filho da p*.
Eu então lhe expliquei que esse nome se dava às mulheres que recebiam muitos homens em casa e perguntei se a mãe dele fazia isso.
Ele respondeu que não e então eu disse.
Não importa o que digam que você é, o importante é o que você sabe que é.

Desde que "escancarei" minha religião ha alguns meses atrás, fazendo os cursos de Teologia de Umbanda Sagrada e de Sacerdócio de Umbanda Sagrada, pude observar o tanto que as pessoas qualificam as coisas sem ter nem noção do que elas são.
Devo confessar que mesmo depois de tantos anos de contato com a Umbanda eu mesma desconhecia muitas coisas.
Os cursos da plataforma EAD e do Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca tratam com extrema seriedade o assunto, mas de uma forma tão leve e divertida que esse novo mundo vai-se descortinando de uma forma muito atrativa.
A parte de Teologia é o fundamento. Rubens Saraceni criou um curso imperdível, até para quem não é Umbandista.
Isso porque a nossa religião é muito nova, tem pouco mais de 100 anos, a exemplo de todas as outras, tem um pouco de cada religião seguida no Brasil e é a cara do nosso povo.
Na Umbanda não existe pecado, não quer dizer que vc possa fazer o que bem entende, ou melhor, até pode, mas a Lei de Ação e Reação vai cobrar o preço.

Nossa crença separa o bem e o mal como todas as outras, mas não tem demônios.
Nossos "Exus" e "Pomba Giras" são guardiões da nossa consciência, cuidam, guardam e direcionam.
Se você é uma pessoa inteligente e não é radical, entre no Youtube, procure assistir ás palestras de Alexandre Cumino, se mais não seja para perder a sisma com uma das religiões mais bonitas e poéticas do mundo.

A nossa brasileira Umbanda Sagrada.


Axé