sábado, 27 de dezembro de 2014

Diário de um Condrossarcoma

Temos uma cadela São Bernardo, o nome é Nina e está conosco desde 2005.
Esses 9 anos com ela foram uma descoberta espetacular.


É a raça mais meiga, amada, delicada e amiga que eu ja conheci.
Diz a web sobre esta raça:

"Os cães da raça São Bernardo são muito apegados às suas famílias e adoram crianças, com quem têm paciência de sobra. São ainda fiéis, tranquilos, não agressivos ou intolerantes a pessoas estranhas e respeitosos.
Embora os cães sejam de grande porte, não há problemas em criá-los em espaços reduzidos, desde que sejam feitos passeios diários e regulares, que normalmente já suprem a demanda de exercícios físicos dos cães.
Os São Bernardos não gostam de ser deixados sozinhos, por isto não é indicado que sejam mantidos no quintal de casa. Os exemplares da raça se mostram ainda pouco inteligentes, o que exige de seus donos muita paciência e disciplina." (Fonte: Cães on line)

Eu acrescento que, dependendo do mimo e do tratamento recebido em casa, o comportamento dessa raça pode ser muito semelhante ao das crianças. Por isso não concordo com a "pouca inteligência" que falam. São mimados e birrentos, mas assim como as crianças "uns amores".
Nossa filha, (aí na foto com seu papai, um abnegado nesta hora de necessidade),está com câncer e a nossa dificuldade em encontrar informações na web sobre como tratar o animal (não o câncer) me levou a fazer este post.

Osteossarcoma canino ou câncer ósseo em cães é um tumor muito agressivo que afeta os ossos do cão, causando dor grave e também é maligna. Todos os anos, cerca de 10.000 cães são diagnosticados com câncer ósseo. Há dois grupos básicos de câncer em cães, câncer ósseo primário que se originam a partir do osso e câncer ósseo metastático que vem a  migrar para o osso de outra parte do corpo que é afetada pelo câncer. Esta doença pode ocorrer em qualquer idade, mas são mais prováveis ​​de ocorrer quando o cão é velho. Câncer ósseo afeta principalmente raças cuja estrutura corporal é grande.
Tipos de câncer ósseo canino
  • Fibrossarcoma, é um tumor agressivo localmente que tem uma baixa tendência para se espalhar a menos que o tumor é maligno.
  • Osteossarcoma é um tumor altamente maligno que afeta cães e é diagnosticado depois de ter metastizado para cerca de 95% dos cães.
  • Condrossarcoma é menos agressivo do que fibrossarcoma, mas se espalha em uma área maior do que osteossarcoma.
Carcinoma de células sinoviais é outro tipo de câncer ósseo que causa a destruição óssea completa. Grau 1 e grau 2 carcinoma de células sinoviais é potencialmente curável, mas, de grau 3 geralmente resulta em morte. 

  • A Descoberta 
Uma protuberância na pata dianteira direita. Ela ja tinha uma no pescoço, que consultado o veterinário disse que eram células de gordura e não tinham nenhum perigo.
Quando percebi a da pata, pensei que era a mesma coisa e não liguei muito. Por sorte ela toma banho de 15 em 15 dias e quando está muito calor eu mando tosar todo o pelo menos o rabo e a cabeça. Nossa cidade tem uma média de 25 graus durante o verão com picos bem elevados e eu acho uma judiação deixá-la com tanto calor.
DIAGNÓSTICO: Ela foi para o banho e a veterinária trouxe de volta com uma requisição de raio-x. Como eu estava entrando em férias e tinha uma pequena cirurgia marcada para meu neto em São Paulo, deixei para fazer depois.
Voltando de São Paulo fizemos a radiografia (uma odisséia por causa do tamanho dela), achar um aparelho de raio-x para este tamanho. Aliás, uma constatação, Veterinários, Pet Shops, diagnósticos, tudo é para cachorro de pequeno e médio porte. Para os prestadores de serviço os cachorros de porte gigante não ficam doentes nem precisam de banho.

Observe que junto ao osso, existem, uns esporos e deles sairam a infecção que deu origem ao calombo que aparece na pata.
A diferença é justamente o fato do câncer ter sido originado no osso e daí saído para a cartilagem da pata.



METÁSTASE - Quando esse câncer entra na corrente sanguínea, é levado para o pulmão e outros órgãos, aí ja não se pode fazer mais nada.


DECISÕES - Este câncer é extremamente doloroso e pode vir a matar seu cão. Mas preste bem atenção...VOCÊ PODE SALVÁ-LO, se você tem um animal, se ele é parte da sua familia e da sua casa, perca o amor ao dinheiro e valorize o amor que seu amigo dá a você e sua família.
O tratamento, os exames, os remédios, os cuidados, custam caro. As consultas com veterinário, clínicas para diagnóstico e tratamentos, custam caro.
Não sei se você acredita na Lei do Retorno, mas pode ter certeza de que o que você investir no cuidado do seu animalzinho em dinheiro, retornará com juros.
O QUE DEVE SER FEITO - Em primeiro lugar, procurar um veterinário (se ainda não tem um de confiança), que não diga primeiro o preço antes de perguntar detalhes do problema. Peça um hemograma completo, procure um radiologista e um oncologista para diagnosticar o tipo de problema.
FAÇA RADIOGRAFIA DO PULMÃO - Se o câncer ja se estabeleceu em algum outro órgão (fez metástase), converse com o veterinário sobre o uso de remédios fortes para a dor e a forma de deixar seu animalzinho o mais confortável possivel,  até o final.
Caso não haja metástase, a solução é amputação do membro afetado.
Não tenha vergonha de negociar prazos, parcelamentos, o que for preciso.
Não diga nem pense "vou gastar tudo isso com um cachorro". É um ser vivente como você e, dentro da minha crença, acredito que ele pode ter assumido alguma coisa destinada a um membro da sua família. 
Mas isso é assunto pra outra hora.
OS CUIDADOS - Peça ao ortopedista para preservar a omoplata. Esta raça costuma deitar com as patas esticadas e se for cortado este osso não terá equilíbrio para esta posição que eles gostam tanto.
          




Os cuidados pós operatórios são: Na primeira semana, injeções contra a dor (2 tipos) e dipirona de 8 em 8 horas. Passada esta semana voce opta por fazer o anti-inflamatório e o anti-biótico em comprimidos ou injetável. É bastante fácil aprender a dar injeção no cachorro pois eles tem bastante pele e as injeções são sub cutâneas, não doem nada.
Como são de 12 em 12 e de 8 em 8, eu fiquei com dó de continuar furando a pobrezinha e passei para os comprimidos no meio de um pedaço de carne.
Mas a decisão é sua para o que for mais adequado ao seu animalzinho.
ABRIR OS PONTOS -  É comum no caso de ficar o músculo da omoplata pois o animalzinho vai movimentar como se ainda tivesse o membro alí.

Neste caso, ao invés dos 10 dias normais para a cicatrização, a coisa vai se arrastar por mais 5 ou 10 dias e existem várias ações que seu veterinário pode recomendar.
Mas mesmo com o corte aberto não haverá infecção nem dor se você estiver fazendo os procedimentos de limpeza e as injeções adequadamente.

A Nina está quase boa. O que mais demora é justamente fechar este buraco.
Após a cicatrização total do corte, decidiremos qual o procedimento. Se quimioterapia ou acupuntura. E aí faço outra postagem.
Sinta-se a vontade para fazer perguntas.
Obrigada por acompanhar.