domingo, 8 de abril de 2012

Energias

No mundo da espiritualidade, seja qual for o seu caminho, o ideal é que você aprenda a identificar as energias e separá-las por mais tênues que sejam as diferenças.
´Você pode até usar esse conhecimento e experiência para ajudar outras pessoas, mas se você souber utilizar este conhecimento para orientar sua vida e a das pessoas que têm contato direto com você, já sentirá uma grande evolução em sua espiritualidade.
Os nomes que são dados a estas energias diferem de uma para outra crença.
Para entender o que o Orixá faz em nossa vida, primeiro vamos tentar entender o significado de ORÌ.
Algumas pessoasm dizem que ORÍ é a nossa cabeça, outros dizem que é a morada de nosso Orixá. São respostas simplistas, o ORÍ é nossa " ENERGIA VITAL" Aquilo que SOMOS. É um Universo único, próprio de cada ser.
A cultura IORUBÁ nos ensina que o deus primordial em todas as hipóteses é nosso próprio ORÍ e não temos nada a ver com outras energias; até mesmo com ORIXÁ. ORÍ é uma espécie de deus, nada se iguala a ele. É único e individual, é o deus mais diferente do planeta. Somos nossos próprios deuses.
ORÍ é o CPU que guarda todas as nossas informações. Nosso ODÚ a Memória do nosso computador e o ORIXÁ seria o Dísco Rígido.
Vamos continuar raciocinando sob a orientação da magia Iorubá.
Nosso ORÍ é formado pelos 4 elementos que formam o mundo Iorubá: Ayé (materialidade), Isò (força do movimento), Omí (sentimentos) e Èmí (reflexões). Tudo isso somado ao nosso Odú e nossa singularidade (atributo concedido diretamente de Olodumare, ou Oluwá Nláòkán).

A forma com que o nosso Orí reage à recepção dessas informações é que chamamos ORIXÁ = ORÍ + IXÁ = Anjo Guardião da Cabeça. Esse Anjo Guardião é o fator resultante das recepções energéticas. Orixá é nosso perfil psicológico.
Por isso podemos afirmar que o "transe, o êxtase é algo que vem mde dentro. Não é algo externo que "se recebe"

O ORIXÁ é algo que se exala, que sai de dentro para fora. Quando entramos em êxtase com nosso Orixá nos tornamos um vulcão e o Orixá é seu magma.

Por isso não aceito a teoria do juntó. Temos um único Orixá porque, a n~´ao ser que tenhamos disturbio de várias personalidades teremos apenas um perfil psicológico.

DIVINDADE = Orixá
ENTIDADES = energia exterior

A Umbanda foi fundada no Estado do Rio de Janeiro por Zélio Fernandino de Moraes.

Zélio nasceu em família tradicional de Neves, distrito de São Gonçalo. Em fins de 1908, então com dezessete anos de idade, Zélio preparava-se para o ingresso na carreira militar, na Marinha do Brasil, quando foi acometido por uma inexplicável paralisia, que os médicos não conseguiam debelar. Certo dia, ergueu-se no leito, declarando "Amanhã estarei curado!".
No dia seguinte, de fato, levantou-se normalmente e voltou a caminhar, como se nada lhe houvesse acontecido: os médicos não souberam explicar o ocorrido. Os seus tios, padres da Igreja Católica, surpreendidos, também não souberam explicar o fenômeno. Um amigo da família, então, sugeriu uma visita à Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro (então sediada em Niterói), presidida, na ocasião, por José de Souza.
Na ocasião, manifestou-se por intermédio de Zélio a entidade que se denominou Caboclo das Sete Encruzilhadas, que anunciou a fundação de uma nova religião no Brasil, a Umbanda. Foi fundada, no dia seguinte, em virtude dessa manifestação, a Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade.
A partir de 1918, por orientação da mesma entidade espiritual, Zélio viria a fundar mais sete tendas de Umbanda:
  • Tenda Nossa Senhora da Guia (c. 1918)
  • Tenda Nossa Senhora da Conceição
  • Tenda Santa Bárbara
  • Tenda São Pedro
  • Tenda Oxalá
  • Tenda São Jorge (1935)
  • Tenda São Jerônimo (após 1935)
Aos 55 anos, passou a direção da Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade para as suas filhas Zélia de Moraes Lacerda e Zilméia de Moraes Cunha (já mortas). Feito isso, fundou a Cabana de Pai Antônio, em Cachoeiras de Macacu, no estado do Rio de Janeiro.

A finalidade da criação da Umbanda, segundo informou o Caboclo Sete Encruzilhadas foi cultuar os nossos ancestrais.(*)
Os ancestraias citados são os Europeus, Ameríndios e Africanos. As Entidades Européias ficaram conhecidas como " Padrinhos e Madrinhas" (vulgos Exus Catiços e Pombagiras).
Ameríndios seriam os "Caboclos e caboclas", os africanos seriam os "pretos-velhos". No culto tradicional do Camdonb~´e tambem se culua os ancestrais conhecidos como "Babá Egúngúns".
A palavra Egun significa " Osso" não necessáriamente para representar um cadáver, mas sim para dizer que os ancestrais~são a estrutura da nossa vida, assim como os ossos  são a estrutura do corpo.

*Observe que esta prática é usada no Budismo, Hinduísmo, Religiões Greco-Romanas e várias outras

Nenhuma passagem Iorubá, em seus ensinamentos fala sobre a possessão de energias exteriores para dentro de um Orí. Fala sobre o culto mas não menciona Incorporação.

Não importa no que você acredita: Realmente a sua religião é irrelevante. Qualquer que seja ela tente sentar confortavelmente em um local calmo, fechar os olhos e tomar consciência de você mesmo.
Sinta o seu interior, a sua vibração, sinta seu ORÍ.
Pode ser que não consiga eliminar outros pensamentos de sua mente nas primeiras vezes, faça tantas tentativas quantas necessário, afinal, você tem o resto da sua vida para conseguir, não é?
Tendo estabelecido contato com seu Eu interior, procure analisar seus pensamentos, seu dia a dia e estabelecer EM QUE VOCÊ ACREDITA. Se em anjos, santos, Orixás, em Almas enfim, estabeleça fortemente a sua crença. Isso irá tomar bastante tempo pois verá que sua crença é composta de um pouquinho de cada coisa (provavelmente). Aproveite esta oportunidade para descobrir sua crença verdadeira, sem influências.

Você acredita em "uma força superior" que criou e rege o Universo?
Se não, este blog não é para você.
Se sim, Vamos continuar batendo papo