quinta-feira, 8 de março de 2012

Voltando às raizes

"Qualquer caminho é apenas um caminho e não constitui insulto abandoná-lo quando assim ordena o seu coração. Olhe cada caminho com cuidado e atenção. Então, faça a si mesmo uma pergunta: esse caminho possui um coração? Caso afirmativo o caminho é bom. Caso contrário, esse caminho não possui importância alguma". Don Juan (Carlos Castañeda)

Essa é uma das minhas citações preferidas. Ela retrata exatamente o que acontece comigo cada vez que se aproxima a época da "grande virada".
A cada 5 anos minha vida muda radicalmente. 6 meses antes e seis depois eu sinto a mudança e a acomodação.
Quando era mais jovem (e aventureira), mudava de cidade deixando para trás literalmente tudo o que havia até aquele momento (incluindo móveis e etc).
Essa vontade, ou impulso, ou destino, ou karma (seja lá o nome que queira dar), era irresistível e posso dizer que fatal. Acontecia e pronto.
Depois que me aposentei, mudei para o Brasil de volta (em 2001) , ja casada com  meu Manél e compramos nossa casinha, parei no mesmo lugar.
As mudanças deixaram de ser físicas! e passaram a ser de cunho interior.
Meu comportamento, minha conduta, a forma de ver as coisas mudaram muito.

Adquirí uma tranquilidade para encarar as coisas da vida, exatamente como sempre sonhei. Devo confessar que meu marido tem muito a ver com isso. Quis ficar mais compreensiva e tolerante para dar mais chance ao nosso relacionamento. Tem funcionado graças a Deus.

2012 me trouxe uma surprêsa  bastante agradável, a volta à Umbanda.
Desde 1976 não frequento um Centro, não leio nem estudo nada relacionado ao tema.
A Ordem Rosacruz fez parte da minha vida desde 1978.

Como diz a música, estou de volta pra o meu aconchego.
Agora é encontrar um lugar confiável e ver o que dá.
Estou ansiosa e feliz.
"Saravá"